• Rua Rodovia MG 202 - Brasília de Minas
  • 1 visitaram

Sobre JL Cachaçaria

ORIGEM DO NOME JOCANA

Em tempos não tão remotos, conta-se, existia pela região da Costa do Descobrimento, na Bahia, uma cachaça fabricada por nossos antepassados indígenas a qual chamavam de Jocana. Na linguagem nativa dos Pataxós, haveria de significar mulher, que é quem gera e possibilita a vida, além de ter sido, sob a figura das indígenas, desejadas com vislumbre pelos estrangeiros durante séculos.

O Norte de Minas é um lugar que também resguarda diversos povos originários e conhecimentos ancestrais sobre o manejo da terra. Eis que em seu seio, na cidade de Brasília de Minas, desde meados do fim do último milênio, surge a vontade de produzir uma cachaça inspirada nesse termo e que carregasse as marcas das Gerais em seu paladar.

CLIMA, SOLO, VOCAÇÃO

Por entre as veredas, destaca-se um vasto cultivo em solo uniforme, com uso de matéria orgânica natural, fazendo-se aproveitar de toda a matéria-prima que decorre do processo de produção. O clima semiárido, com chuvas usualmente entre novembro e março, época mais adequada para o plantio da cana-de-açúcar, tendo o restante do ano com baixo índice pluviométrico, favorece em resultar uma qualidade ímpar na mais brasileira das bebidas.

É nutrida desta equação que a Cachaça Artesanal Jocana apresenta uma fórmula que resgata antigas sensações e projeta a reinvenção de uma tradição secular.

Obs: Na mesma região/fazenda/área, lá pelos idos da década de 50, já se produziu cachaça por longos anos. Na época se chamava Lira e era fabricada pelos antecedentes que ali habitavam.

PROCESSO DE PRODUÇÃO 

Com o tempo a fábrica estruturou-se, permitindo uma gama maior de recursos e experimentações, possibilitando assim alcançar um produto de exímia qualidade, feito por profissionais capacitados e que possuem um caráter identitário frente ao lugar que trabalham. É assim que geram um sabor suave, mas carregado de substância e enraizado no lugar de onde proveio.

CONTROLE RIGOROSO 

A produção é feita sob controle rigoroso, atendendo também aos requisitos ambientais e de condições de trabalho, conservando a higiene dos setores e buscando sempre aprimorar uma tradição longínqua. Atinge-se o mosto por um cuidadoso processo de decantação e filtragem da moenda, passando por fermentação em dornas inox, somente com uso de compostos naturais, porém preservando uma baixa acidez. A destilação ocorre em alambiques de cobre, de onde se retém apenas o coração da cachaça, sendo a cabeça e cauda descartadas.

ARMAZENAMENTO E ENVELHECIMENTO

“A arte do envelhecimento, é a assinatura do nosso produto”.
A partir daí ramificam-se as opções de armazenamento, que podem se dar em tanques de inox, tonéis de amburana ou jequitibá e barris de carvalho, conservando, assim, uma produção inteiramente artesanal.

A Jocana se apresenta como a vertente que inaugura um trabalho esmerado. Tem aspecto translúcido, sendo sua maturação em inox, acompanhada de uma oleosidade vistosa, trazendo a pureza e o sabor do Norte de Minas consigo, seja em qual parte do mundo estiver.

Fotos

Anúncio

Parceiros